O Carrinho de Mão

Na borda da cama e com os antebraços apoiados, a mulher é "içada" pelas pernas pelo homem, que, de pé, por trás dela, a penetra, suspendendo-a com sua força. O estímulo e o prazer se concentram nos genitais de ambos, mas é o homem quem dita o ritmo atraindo o corpo dela ao seu.  

A variedade de movimentos e sensações que a postura possibilita é assombrosa: circulares, ascendentes e descendentes, com as pernas dela mais fechadas ou abertas.  

Variação: A penetração com as pernas abertas pode ser dolorosa para algumas mulheres. Neste caso, com o pénis já introduzido, a mulher pode fechar as pernas e apoiar-se na cama.

A Gangorra

O homem está sentado (preferencialmente numa superfície dura, que não seja a cama), com as pernas flexionadas, tendo a mulher encostado suas coxas, e desta maneira recebe a mulher, que se faz penetrar acomodando-se no espaço entre as pernas dele e seu tronco.

O homem pressiona com os joelhos o corpo de sua companheira, aproximando-a de seu corpo, provocando o vaivém de ambos enquanto, por exemplo, beija-lhe os seios que estão na altura de seu rosto.  

Uma sensação única que recorda o terno ir e vir das gangorras da infância.

O Molde  

Com as pernas juntas e flexionadas (para que pressionem o pênis), a mulher deita-se de lado e relaxa sua cabeça para trás, enquanto ele a penetra, seja pela vagina ou pelo ânus (essa é uma excelente posição para o sexo anal). Os movimentos devem ser suaves e ritmados, e a penetração lenta e profunda.

Os corpos se encaixam como duas peças perfeitas de um quebra-cabeças. O Molde é ideal para mulheres que têm dificuldade em alcançar o orgasmo e/ou gostam da fricção do clítoris durante o sexo: as pernas juntas produzem esse efeito tão prazeroso.

O Trapézio

O homem senta-se com as pernas abertas e a sua companheira (já penetrada) na sua frente virada para ele. Tomando-a nos pulsos, ela vai relaxando para trás até a assentar  completamente na cama: ela deve estar super relaxada e entregue à força do seu companheiro que atrai para o seu corpo com os seus braços provocando a investida necessário para o coito.

É uma posição complicada dado que requer a leviandade da mulher, bastante equilíbrio de ambos e a força e a capacidade do homem. Ideal para alterar a rotina e provar emoções novas... 

O Espelho do Prazer

Ela deita-se de barriga para cima. Levanta suas pernas e deixa que ele as sustente em volta do seu corpo, apoiando o outro braço no chão. O homem a penetra, domina e controla. A postura permite variar o sentido da penetração e a abertura das pernas. 

Os rostos não podem se aproximar e as mãos pouco podem fazer nesta posição, o que gera uma excitante ansiedade: ambos os corpos disputam juntos a corrida em busca do orgasmo e despejam no outro os mais variados gestos de prazer e luxúria.

A Libélula

Ambos deitados de lado, num lugar confortável e flexível, como a cama. Ela de costas para ele, e os corpos ajustados... Numa demonstração de habilidade, a mulher passa a sua perna por cima do quadril do homem, abrindo a sua porta ao prazer: o homem penetra-a, fazendo da perna dela uma alavanca, que se apoia no quadril dele.

Os segredos que o homem pode dizer a sua companheira pela proximidade do sua boca do ouvido dela, propicia o condimento perfeito, para atingir o prazer máximo.  A penetração chega à metade do caminho, e para que o gozo seja intenso é importante que o desejo se torne profundo para que culmine num orgasmo mais excitante...

O Parafuso

Não há nada mais aconselhável para uma mulher com dificuldades para atingir o orgasmo do que as posições que pressionam o clítoris enquanto ela é penetrada. Na posição do Parafuso isto cumpre-se à risca. Ela deita-se na beira da cama, e coloca as suas pernas flexionadas para um dos lados do seu corpo (cada mulher sabe qual dos dois lados lhe é mais confortável).

Isto lhe permite manter o clítoris pressionado entre os melhores aliados da mulher para chegar a um precioso orgasmo: os lábios vaginais. A mulher pode contrair e relaxar toda a região enquanto ele a penetra ajoelhado em sua frente, acariciando seus seios.

A Amazona

Neste caso, é o homem quem relaxa e se deita de barriga para cima, com as pernas levemente abertas flexionadas até ao seu peito. A erecção espera a mulher que se acomoda de joelhos ajustando-se na posição adoptada par ele. A mulher literalmente “senta” no pénis do seu companheiro, fazendo-o lentamente.

Os seus músculos impulsionarão todo o movimento que esta postura necessita. A penetração dá-se em sentido para cima e para abaixo.

Essa posição é indicada para espíritos abertos e aventureiros e mentes abertas. Na “ A amazona”, é a mulher que cavalga em seu homem da maneira mais selvagem e primitiva.

A cadeira

Recostado sobre uma almofada confortável, o homem senta-se com as pernas flexionadas e um pouco abertas. Esta posição permite a postura na qual ela se senta comodamente no espaço que ele forma com seu corpo. Com a ajuda de suas mãos, o homem acomoda sua companheira no seu pénis erecto, controlando tanto o ritmo quanto a intensidade da penetração.

As pernas dela apoiam-se suavemente nos ombros do homem, que tem a sua cabeça presa e envolta pelos músculos de sua companheira. O homem pode tocar o clítoris dela ao mesmo tempo em que sustenta sua cintura com força. A dificuldade que reside em aproximar os rostos, bem como a proposta ousada converte "A Cadeira" em uma postura diferente e extremamente sensual.

A Sonolenta

A mulher deita-se de lado e o homem se coloca por trás dela para penetrá-la. Ela estica uma perna para trás e a enrosca na cintura dele. Ideal para homens "bem dotados" e mulheres flexíveis, a Sonolenta satisfaz muitas necessidades das mentes fantasiosas: em primeiro lugar, ela está de costas para ele, ao mesmo tempo permite alcançar seu rosto e pescoço. 

Além disso, ele tem acesso confortavelmente ao clítoris e aos seios de sua companheira. A abertura da perna, que está por fora para receber o pénis, e o encaixe da mesma ao redor do parceiro é o que há de mais excitante nessa posição.

A Surpresa

Esta postura é ideal para os amantes do sexo mais selvagem e primitivo. O homem, de pé, possui a mulher por trás e a penetra agarrando-a pela cintura. Ela vai reclinando descontraidamente seu corpo até apoiar suas mãos no chão. O homem a "surpreende" por trás e dita o ritmo do coito. Para ela, o prazer se concentra no ângulo da abertura vaginal que, ao ser limitado, provoca uma sensação de estreitamento muito prazerosa para muitas mulheres. 

Para ele, a sensação mais poderosa se concentra na glande, que entra e sai da abertura vaginal conforme seu capricho e acaricia o clítoris nas saídas mais audaciosas. Além disso, o campo visual do homem abrange o ânus, os glúteos e as costas, zonas altamente erógenas para muitos. O controle que ele exerce e o total relaxamento dela podem favorecer o manuseio do ânus dela pelo homem: introduzir um dedo durante o coito pode ser enormemente excitante.

A Medusa

Essa posição é uma variante muito atraente para os amantes do balanço durante o sexo, se o homem tem flexibilidade e resistência.

Ajoelhado, o homem recebe a mulher, preparando-se para ficar realmente extasiado: seus momentos podem imitar o de uma balança, indo para frente e para trás, com os pés bem apoiados no piso.

O homem também pode ficar imóvel e deixar que ela se mova até o final.

A Profundeza

Esta é uma posição de penetração total, daí seu nome. Com as pernas elevadas e abertas, ela aguarda que seu companheiro introduza o pénis em sua vagina para repousar as suas pernas nos ombros dele, que apoiará suas mãos para regular o movimento.

Para muitas mulheres pode parecer complicada, incómoda ou dolorosa a visualização desta postura, mas vale a pena experimentá-la porque ela oferece a penetração absoluta e um contacto genital único: os testículos se situam suavemente entre os glúteos e o clítoris se encontra pressionado pela abertura das pernas. 

A dificuldade para beijarem-se e a distância entre os rostos podem ser amplamente excitantes para ambos.

Papai -mamãe

É a postura clássica e universal, mas não é aborrecida. O cara á cara permite uma infinidade de variantes para torna-la mais atractiva e excitante. A mobilidade das mãos, a proximidade dos corpos a conforto dos corpos, são as vantagens que a fizeram famosa.

Não há que temer novos tipos de contacto durante o coito:  se ela tocar os testículos e o ânus do seu companheiro e que ele friccione o clítoris da mulher ou que ela mesmo o faça. Que as pernas de ambos estejam mais fechadas, para sentir alguma dificuldade na penetração...

É uma penetração, que muitos identificam com o amor e o romance, o inicio do casal, a adolescência... Mas a vale a pena experimenta-la em todas as etapas da vida sexual, e retirar o sumo das suas vantagens.

Variante do papai -mamãe

Esta postura clássica também se realiza com a mulher na posição dominante, o que é muito excitante, já que se modifica substancialmente o tradicional "papai-mamãe" (o homem sobre a mulher). Desta forma, ela pode roçar seu clítoris no ventre do seu parceiro com mais facilidade, conforme o seu desejo. 

É ideal para as mulheres que custam a chegar ao orgasmo e que necessitam de uma estimulação muito directa tanto do clítoris quanto dos lábios vaginais. Além disso, o homem pode tocar livremente os glúteos de sua companheira, inserir seus dedos no ânus dela e puxá-la com força, agarrando suas nádegas.

A Fusão

Para esta posição, o homem senta-se com o corpo levemente inclinando para trás, apoiando suas mãos ao lado do corpo. As pernas podem esticar-se ou flexionar-se, dependendo da comodidade, e a cabeça pode estar relaxada. A mulher, assume o papel activo nesta ocasião, passa suas pernas por cima do seu companheiro e apoia seus braços atrás do corpo. 

A estimulação prévia deve ser intensa, já que durante a penetração esta postura impede o constato manual e oral. A mulher marca o ritmo, o encontro pénis - vagina se dá com um movimento dos dois até o centro. De qualquer uma das duas formas, é essencial que o clítoris seja privilegiado com os impactos junto ao corpo dele. O olhar é um componente fundamental e a palavra pode ser uma incrível arma para aproveitar a fusão por completo.

Variante da Fusão

Se o homem se deita completamente e a mulher a ele se incorpora, "A Fusão" adquire uma variante na qual a penetração é mais profunda. O ritmo fica a cargo dela e o movimento mais facilmente executado é o de cima para baixo, que a mulher deve realizar sobre seu companheiro. 

As mãos dela podem tocar o peito dele ou pegar seu pénis, como se o masturbasse para aumentar o prazer de ambos.

A cavalgada de costas

O homem deita-se comodamente, confiando o seu prazer à vontade da sua parceira. Aproveitar este jogo de submissão masculina pode ser estimulante para ambos: ela pode começar o encontro com carícias e beijos nele, que permanece sempre na mesma posição, para culminar na penetração profunda que caracteriza a posição, na qual a mulher se coloca de costas para o companheiro e controla os movimentos com o apoio dos braços. 

É muito erótico para o homem quando ela coloca seu rosto sobre o próprio ombro. Além disso, o homem tem fácil acesso ao ânus e aos glúteos de sua parceira, podendo ela diminuir a velocidade dos movimentos para desfrutar do estímulo anal ou para que seu parceiro toque seus seios.

Variante da cavalgada de costas

Outra forma de exercitar esta postura: a mulher estende o seu corpo para trás, apoia seus braços nos de seu companheiro e estica suas pernas para frente. Desta maneira, o homem poderá facilmente alcançar seus seios e a mulher poderá apoiar seus glúteos no ventre dele e realizar movimentos circulares. 

O pénis não pode penetrar tanto a vagina, o que pode ser bastante excitante para ambos.

O Abraço Total

A parceira está de pé, nua e de frente para ele. Ela agarra-se ao seu companheiro pelos ombros e o entrelaça com as suas pernas. O homem segura-a pelas nádegas e a traz para si para penetrá-la. O "Abraço Total" faz parte de um sexo passional e criativo em que o contacto corporal é completo.

O ritmo do coito pode se dar de duas maneiras: de cima para baixo ou de trás para frente, dependendo da intensidade de prazer que ambos experimentem a cada opção. 

O Carretel

De barriga para cima, a mulher recebe seu companheiro com as pernas abertas, que nesta posição, a penetra de frente para as pernas dela. A diferença de sensações é notável neste tipo de penetração: o clítoris e os lábios vaginais estão em pleno contacto com a pélvis e os arredores do pénis do companheiro, e a penetração mais acessível é através de movimentos circulares. O facto de não se verem frente a frente confere a esta posição um encanto especial. 

A novidade das carícias surpreende positivamente: a mulher pode acariciar as nádegas de seu companheiro e cravar suavemente suas unhas na parte posterior dos joelhos. O homem, pode chupar os pés dela, morder seus dedos, aproximar sua mão e os genitais de ambos, que estão se fundindo e pegar o seu pénis para penetra-la melhor.

O arco

Variação do "Face a Face", o arco é uma posição que, através de uma pequena variação, modifica as sensações ao extremo. A mulher permanece deitada de barriga para cima com as pernas abertas e flexionadas, apoiando os seus braços por trás dos ombros. Quando o seu companheiro está pronto para penetrá-la, eleva seus quadris e se encaixa sobre as pernas flexionadas do companheiro. 

O prazer que ela recebe se concentra na penetração profunda e na particularidade de sentir toda a zona vaginal e abdominal envolta pela pele do homem. O cansaço que se experimenta ao manter a posição se vê recompensado pela potência do orgasmo que pode provocar.

A catapulta

Elevar os quadris, no caso das mulheres, é uma valiosa fonte de prazer, já que coloca em contacto com o corpo do homem as áreas do seu corpo que, em posições mais tradicionais, não se tocam. Neste caso, o homem recebe a vagina da sua companheira, deixando que ela apoie os glúteos em seus músculos. A mulher pode esticar as suas pernas no torso do homem ou flexioná-las, apoiando as plantas dos pés em seu peito.

O homem tem fácil acesso ao clítoris, podendo estimulá-lo com as mãos e olhar a vagina em primeiro plano. 

O ritmo é ditado por ambos, conforme suas vontades e a flexibilidade da mulher. 

O furor selvagem

Também conhecida como "cachorrinho", esta posição é passional e selvagem. Com ambos os parceiros de quatro, essa posição compreende uma série de vantagens que poucas posições oferecem: a facilidade para o homem estimular o clítoris ou o ânus da sua companheira, a variedade de movimentos possíveis, a possibilidade de que a mulher estimule os testículos do homem e a facilidade para alternar sexo anal e vaginal.  

Além disso, a posição permite ao pénis ficar pressionado entre os glúteos, o que pode ser muito excitante para o homem. Resumindo, a relação sexual que inclui essa posição é muito selvagem e provoca furor no casal. Diz o Kama Sutra: "no ardor da cópula, um casal fica cego de paixão e prossegue com grande impetuosidade, sem prestar a menor atenção a excessos".

A dominação

O homem, comodamente sentado, recebe sua companheira, que se encaixa em seu corpo, sentando-se sobre o seu pénis erecto. A mulher pode fazer-se desejar pegando o pénis com a mão e colocando-o sobre sua vagina, movimentando-o suavemente sobre ela, mas sem introduzi-lo. O homem pode impor sua vontade pressionando a mulher até seu membro lentamente, olhando-a nos olhos.  

O calor do abraço, os jogos de língua e as costas de ambos ao alcance da mão para causar calafrios, um no outro, são algumas formas de carinho. A doma pode ser um caminho até um orgasmo intenso e inesquecível.

Variante da dominação

A mulher também pode "domar" o seu homem colocando-se de costas para ele e marcando o ritmo apoiando os seus pés no chão. Ele, por sua vez, pode acariciar os seus seios, beijar o seu pescoço e mexer no cabelo da sua companheira enquanto ela se move. 

A visão que esta variação oferece é uma das mais excitantes para o homem, já que permite a ele ver, em primeiro plano, cada investida que sua companheira realiza.

A acrobática

Não recomendada para pessoas com pouca elasticidade, esta posição pode parecer incómoda, mas se a flexibilidade corporal a permitir, pode ser muito excitante. O homem se deita relaxado e de barriga para cima. Ela se deita de costas sobre ele, se faz penetrar, flexiona seus joelhos e se inclina para trás, lentamente, para que o pénis não saia da vagina.  

Para activar o movimento necessário para o coito, ela deve levantar o seu ventre e relaxá-lo sobre o de seu companheiro. O homem tem fácil acesso ao clítoris e aos peitos de sua companheira. Desta forma ela não poderia estar mais atarefada, tanto que chega à exaustão, o que torna mais excitante o orgasmo.

O deleite

Ela se encosta na borda da cama ou de uma cadeira. O homem usa o joelho para deixar seu pénis na mesma altura da vagina dela, que abre as pernas para receber o pénis do seu companheiro.

Ele leva seu corpo para trás em um subtil relaxamento.   

Ao mesmo tempo, o corpo dele é envolto pelas pernas dela enquanto ele se preocupa em marcar o ritmo da penetração.

A Possessão

As pernas entrelaçam-se nesta postura sensual e prazerosa, na qual a mulher permanece encostada e com as pernas abertas esperando que seu companheiro a penetre sentado e a segure pelos ombros para regular o movimento.  

O pénis entra e sai inclinado para baixo, já que a altura do ventre da mulher está levemente acima da do homem.

Para finalizar o famoso 69

Comummente chamada de "69", é a posição da estimulação oral mútua que permite uma completa conexão física: ambos os parceiros dão e recebem carícias activamente e a entrega é total e irrestrita, sem pudores.

A combinação de sentir o orgasmo do parceiro tão directamente, que enquanto se está envolvido nas chamas de uma paixão sexual intensa, se estimulará uma ligação particularmente poderosa entre o casal.

E já vem da idade da pedra!

 

 

Home     Inicio